Quanto rende 1 milhão de Reais na Poupança?

Um milhão de reais na conta. Sem dúvida é um valor que a grande maioria dos brasileiros dificilmente terá em uma vida inteira.

Mas alguns anos de poucos gastos e ótimas escolhas de trabalho pode levar muitas pessoas a chegar a este valor tão almejado. Ou uma herança. Ou um prêmio de loteria.

Mas enfim, temos um milhão de reais nas mãos – sim, é uma hipótese, mas vamos seguir em frente – e sabemos que dinheiro parado perde valor por conta da inflação que existe em praticamente todas as economias, e em especial a brasileira.

E muitas pessoas, pensando na segurança e na praticidade da Poupança, prefere este investimento para continuar recebendo um valor mensal e viver com tranquilidade.

Mas será que este é o melhor caminho para valorizar este 1 milhão de reais? Quanto rende 1 milhão de Reais na Poupança?

Por que a Poupança é a aplicação preferida de muitos brasileiros?

Qual brasileiro nunca ouviu falar de Caderneta (para os mais experientes) ou Conta de Poupança?

É uma aplicação criada no século 19 pelo Governo Federal com a intenção de – já naquele tempo – proteger as economias das pessoas contra as perdas com a inflação.

Esta tradição se mantém até hoje, pois ela ainda é a forma de poupar preferida da maioria dos brasileiros, especialmente os de renda e escolaridade mais baixas:

  • É prática: não tem valor mínimo de aplicação ou saque ou burocracia para resgatar;
  • É a mais barata: não tem taxa de administração e não paga Imposto de Renda;
  • É a mais simples: a linguagem financeira da outras aplicações é complexa até para pessoas do setor;
  • É a mais segura: existe o Fundo Garantido até 70 mil reais para o caso de o banco quebrar.

Todos esses fatores tornam a Poupança a preferência de brasileiros que não querem ou não têm tempo de se envolver no mundo financeiro e precisam de liquidez e agilidade para saques.

Quanto rende 1 milhão de Reais na Poupança?

Antes de chegarmos a um valor, que vai depender da taxa da Poupança na época do cálculo, é preciso considerar o que é rendimento.

Muitos brasileiros consideram que é o valor realmente recebido, o que para efeito do valor real do dinheiro, não é correto. Temos a inflação, que corroi boa parte do poder de compra deste dinheiro. Ou seja, devemos considerar que o rendimento é o valor recebido acima da inflação.

Se tomarmos um exemplo de 1 milhão de reais com o objetivo de comprar um imóvel do mesmo valor no prazo de 12 meses:

Se o percentual de Poupança for de 6% ao ano, ao final dos 12 meses teremos 1.060.000. Então temos um ganho financeiro de 60.000 reais. Porém, se o imóvel aumentou de preço pela inflação do mesmo período de 3,5%, ele custará 1.035.000.

Desta forma, o rendimento real será de 25.000 reais.

Então a Poupança é uma aplicação rentável?

Podemos dizer que, mesmo sendo isenta de Imposto de Renda e de taxa de administração e quando comparamos com as outras aplicações nos mesmos prazos e valores, a Poupança é rentável – mas é uma das menos.

O rendimento dela está atrelado à 70% da taxa Selic, a taxa de juros oficial da economia e que é gerida pelo governo, mais a TR (Taxa Referencial).

A TR atualmente está zerada. Desta forma, qualquer mudança para baixo na Selic afeta a rentabilidade da Poupança diretamente. Se tomarmos a Selic de 6,5% publicada no final de outubro/2018, o rendimento da Poupança será de 4,55% ao ano.

Quando comparamos com as demais aplicações, em que pese ser mais segura e prática, a Poupança é um das opções menos interessantes financeiramente.

 

Fique por dentro de novidades financeiras e rendimentos na poupança.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *